Província do Niassa, em Moçambique, pretende atrair investidores nacionais e estrangeiros

5 September 2012

O governo provincial do Niassa pretende que empresários nacionais e estrangeiros invistam na província, tendo a secretária permanente Verónica Langa argumentado com os recursos minerais por explorar, as potencialidades turísticas e a existência de terrenos para agricultura e silvicultura.

No decurso de uma conferência sobre “Oportunidades de Investimentos no Niassa”, realizada em Maputo numa organização da Fundação Malonda, aquela responsável garantiu que todos aqueles que decidirem investir na província “de lá sairão com bons lucros”.

O Niassa, que é a maior província do país, conta com 676 mil hectares de terra para plantações florestais, tendo o director provincial da Agricultura, Eusébio Tumuitikile, dito que o Niassa dispõe de 9,4 milhões de hectares (94 mil quilómetros quadrados) de florestas, onde se podem encontrar espécies de elevado valor comercial, nomeadamente chanfuta, jambire, umbila, pau-preto, sândalo e pau-rosa.

“Existe uma área de mais de dois milhões de hectares para plantações florestais e há empresas a trabalhar nesse sector, casos da Chikwete Forest of Niassa, New Forest, Green Resources, Florestas de Niassa, Florestas do Planalto e Companhia Florestal de Massangulo, explorando 32 mil hectares”, disse.

Relativamente aos recursos minerais, já foi confirmada a existência de ouro, rubi, safiras, fosfatos, granadas, calcário, chumbo, zinco, turmalinas, aguas marinhas e carvão, tendo o director provincial de Recursos Minerais, Sertório Aurélio, afirmado faltar apenas um estudo para determinar com precisão o que existe. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH