Banco Mundial vai apoiar Moçambique a desenvolver projectos de gás natural

9 September 2012

O Banco Mundial vai oferecer assistência técnica para o desenvolvimento do sector do gás natural em Moçambique, garantiu Lex Huurdeman, representante da instituição, durante a apresentação e início da discussão pública do Plano Director do Gás Natural.

O Plano Director do Gás Natural é um instrumento que define as linhas-mestras para a execução de projectos que usem aquele recurso em Moçambique e no qual se salienta a necessidade de adicionar valor ao gás natural extraído.

Benjamim Chilenge, director de Planificação e Desenvolvimento no Ministério dos Recursos Minerais, disse que se vai procurar preparar um documento consistente e claro que deverá ficar pronto até ao final do ano, depois de concluídos alguns estudos adicionais que ainda terão de ser efectuados.

Com mais de 18 recomendações, a proposta do Plano Director do Gás Natural defende a realização de grandes projectos capazes de servir de âncora para as pequenas e médias empresas, podendo proporcionar o uso maciço do gás natural contribuindo para a criação de mais postos de trabalho e aumento das exportações.

Aponta também as cidades de Nacala, em Nampula, e Beira, em Sofala, como os dois pólos estratégicos para a viabilização dos projectos do gás natural a nível interno.

Ainda de acordo com a proposta citada pelo diário Notícias, de Maputo, a exploração do gás natural pode fazer com que até 2025 o Estado moçambicano possa obter receitas no montante de 5 mil milhões de dólares. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH