Distrito de Mossurize, em Moçambique, procura investidor para concluir fábrica de processamento de chá

10 October 2012

O administrador distrital de Mossurize, no sul da província de Manica, pretende encontrar um investidor que garanta a conclusão das obras de construção da fábrica de processamento de chá em Espungabera, paradas há meses, informou o diário Notícias, de Maputo.

Iniciadas em Dezembro de 2010 com conclusão estava prevista para Março do ano seguinte, as obras da nova fábrica de processamento de chá estão paradas, não havendo sinais de virem a ser retomadas, devido à falência da empresa que havia apostado neste negócio.

Orçadas inicialmente em 1,4 milhões de dólares, valor que foi desembolsado, as obras da fábrica acabaram por parar quando a empresa não conseguiu obter um financiamento adicional de 300 mil dólares para a sua conclusão.

“A população está a produzir chá e não tem onde vender e os compradores do vizinho Zimbabué não absorvem a produção na sua totalidade”, disse o administrador, preocupado com o actual cenário.

Pertencente à Moz Tea, uma sociedade de capitais moçambicanos e estrangeiros, nomeadamente de Itália, Brasil, Zimbabué e África do Sul e com apoio financeiro da Comunidade Europeia, a fábrica de chá de Espungabera destinava-se a absorver a produção de chá, não só do distrito de Mossurize, mas também de outros pontos da província de Manica.

Com uma capacidade instalada de 800 toneladas de chá por ano, previa-se que a fábrica empregasse 50 trabalhadores e que adquirisse chá a 780 produtores numa área conjunta de 150 hectares. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH