Grupo indiano Jindal Steel & Power negocia abastecimento de energia para mina em Moçambique

14 October 2012

A Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB) está a negociar o abastecimento de energia eléctrica para o projecto do grupo indiano Jindal Steel & Power (JSPL) de exploração de carvão mineral de Chirodzi, na bacia sedimentar do Zambeze, na província de Tete, informou o presidente da HCB.

Em declarações ao matutino Notícias, de Maputo, Paulo Muxanga disse que as negociações envolvem o principal distribuir de energia em Moçambique, a empresa Electricidade de Moçambique (EdM) que, neste momento, recebe da HCB pouco mais de 500 megawatts.

A HCB tem uma capacidade instalada de produção de 2015 megawatts, mas em Julho passado viu-se forçada a reduzir as quantidades de energia para a exportação, devido à avaria na bobine de alisamento de corrente contínua.

Muxanga disse ainda que a JSPL pretende iniciar a actividade dentro dos próximos meses e numa primeira fase, ou seja, a partir de 2013, a produção da mina deverá alcançar 2,68 milhões de toneladas de carvão de coque para exportação e 3,9 milhões de toneladas de carvão térmico para os mercados interno e externo.

Com esta produção, o grupo indiano poderá tornar-se no terceiro grupo a entrar na fase de extracção de carvão mineral em grande escala, em Moçambique, depois da brasileira Vale e da anglo-australiana Rio Tinto.

O valor global do investimento que a Jindal Steel & Power terá de efectuar em Chirodzi está estimado em 180 milhões de dólares.

O projecto de extracção de carvão de Chirodzi é de importância estratégica para a JSPL que, em 2020, pretende estar a produzir 20 milhões de toneladas de aço e 21 mil megawatts de energia eléctrica, neste último caso em associação com a sua subsidiária Jindal Power.

Em Moçambique, o grupo dispõe de uma mina de carvão com reservas estimadas em 1,2 mil milhões de toneladas, cuja licença mineira foi atribuída pelas autoridades moçambicanas em Fevereiro de 2009. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH