Participação do Estado moçambicano nos projectos mineiros manter-se-á entre 5% e 20%

25 November 2012

A participação do Estado moçambicano nos projectos mineiros em Moçambique manter-se-á entre 5% e 20% a fim de atrair investimento, não havendo planos para a aumentar de forma desproporcionada, disse o presidente da Empresa Moçambicana de Exploração Mineira (EMEM).

Em oposição ao que se passa em alguns países africanos em que se defende a nacionalização das explorações mineiras ou a tomada de participações de controlo, António Manhiça disse que o governo de Moçambique pretende equilibrar os interesses do Estado moçambicano com os dos investidores.

“Em cada projecto temos uma participação entre 5% e 20% não sendo previsível que venham a ocorrer grandes alterações”, adiantou Manhiça à agência financeira Reuters.

O presidente da EMEM salientou que o governo tem consciência do imenso investimento necessário para repor as infra-estruturas de apoio ao sector carbonífero, nomeadamente das linhas de caminho-de-ferro e dos portos, que foram destruídas no decurso da guerra civil terminada em 1992.

“Continuamos a defender a criação de um ambiente de negócios propício à atracção de tanto investimento quanto possível”, disse, tendo revelado que muitos esforços são desenvolvidos no sentido de convencer as empresas estrangeiras que o seu investimento não virá um dia a sofrer o mesmo destino que em muitos países, de África e não só.

“Trata-se de uma tarefa quase diária”, salientou o presidente da EMEM, empresa criada em 2009 para gerir os interesses do Estado e locais na indústria mineira através da tomada de participações nos projectos e do desenvolvimento de concessões até à fase de exploração mineira. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH