Sector de diamantes em recuperação em Angola

2 December 2012

O sector dos diamantes em Angola está a recuperar das crises internacional de 2008 e europeia de 2011, disse em Washington o ministro angolano da Geologia e Minas, Francisco Queirós, de acordo com a agência noticiosa angolana Angop.

No decurso de um encontro sobre o Processo de Kimberley, decorrido de 27 a 30 de Novembro na capital dos Estados Unidos da América, o ministro salientou que Angola foi duramente afectada, tanto em termos financeiros como sociais, por ambas as crises, a internacional e a europeia, “encontrando-se o sector actualmente em fase de recuperação.”

Referindo-se especificamente ao Processo de Kimberley, Francisco Queirós recordou que Angola participou nos sete grupos de trabalho criados para a discussão de questões técnicas inerentes ao processo e salientou tratar-se de “um instrumento que tem mostrado muita eficiência e segurança no que diz respeito à indústria e que tem contribuído para a estabilização do mercado de diamantes”.

O Processo de Kimberley teve início quando os Estados da África Austral produtores de diamantes se reuniram em Kimberley, África do Sul, em Maio de 2000, para discutir formas de impedir o comércio de diamantes de conflito (conhecidos também como diamantes de sangue) e assegurar que não financiassem a violência.

Em Dezembro de 2000, a Assembleia Geral da ONU aprovou uma resolução para apoiar a criação de um sistema de certificação internacional dos diamantes brutos e em Novembro de 2002 as negociações entre os governos, a indústria internacional de diamantes e organizações da sociedade civil resultaram na criação do Sistema de Certificação do Processo de Kimberley (SCPK).

O documento KPCS (na sigla em inglês) estabelece os requisitos de controlo da produção de diamantes em bruto e comércio e entrou em vigor em 2003, quando os países participantes começaram a aplicar as suas regras. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH