Banco de Moçambique vai procurar manter em 2013 a estabilidade macro-económica e do sector financeiro

17 December 2012

A manutenção dos ganhos de estabilidade macro-económica e do sector financeiro continuará a ser o principal objectivo a alcançar pelo Banco de Moçambique em 2013, afirmou segunda-feira o governador do banco central Ernesto Gove.

O governador disse que para atingir esse fim o banco central continuará a privilegiar o uso dos instrumentos disponíveis nos mercados monetário e cambial, complementados com a supervisão prudencial, visando assegurar uma expansão dos meios totais de pagamento em redor de 19,3% e do crédito bancário ao sector privado em redor de 19,0%.

Citado pelo jornal Notícias, de Maputo, Gove acrescentou que o Banco de Moçambique vai continuar a fortalecer o seu papel de supervisor e regulador das instituições de crédito, liderando a transição para os critérios de Basileia II.

“Em parceria com as instituições de crédito, iremos prosseguir o esforço de maior penetração da banca na economia nacional, a modernização do sistema nacional de pagamentos e a busca de preçários dos serviços financeiros mais competitivos e transparentes”, garantiu.

A continuação da adopção de posturas de prudência e de diversificação da aplicação das reservas internacionais tendo em vista reduzir os riscos, bem como a continuação do estímulo à expansão dos serviços financeiros com recurso a novas tecnologias, visando acelerar a inclusão financeira no país, são outras medidas que o banco central se propõe realizar em 2013.

No que respeita ao ano de 2012, Ernesto Gove afirmou que de acordo com os mais recentes dados estatísticos o crescimento real do Produto Interno Bruto moçambicano se situou próximo de 8% no primeiro semestre de 2012, “o que está em linha com a expectativa inicial das autoridades de um crescimento anual de 7,5%.” (macauhub)

MACAUHUB FRENCH