Angola vai adquirir uma centena de locomotivas ao grupo norte-americano General Electric

18 February 2013

O grupo norte-americano General Electric (GE) vai fornecer a Angola uma centena de locomotivas e respectiva assistência técnica, que incluirá os motores dos aviões da transportadora aérea angolana Taag fabricados pelo grupo, nos termos de um contrato assinado na passada semana no Lobito.

A directora do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatísticas do Ministério dos Transportes, Teresa Muro, disse no final da cerimónia que a compra de locomotivas é fundamental para desenvolver o Corredor do Lobito que, ligando Angola à RD do Congo e à Zâmbia por via férrea, vai permitir o escoamento de produtos, entre os quais minerais, desses países.

Por seu turno, o presidente da empresa GE Transportation, Lorenzo Simonelli, disse que o contrato não tem termo e acrescentou que as locomotivas a serem fornecidas são tecnologicamente avançadas e têm um custo que pode atingir 200 milhões de kwanzas (2 milhões de dólares) a unidade.

No início do mês, o director do Instituto Nacional do Caminhos de Ferro de Angola, Júlio Bango Joaquim, disse que apenas o Caminho de Ferro de Moçâmedes dispunha, em 1976, de pelo menos 72 locomotivas para o transporte de minérios da Jamba mineira e de Chamutete até ao porto do Namibe, “sendo muito provável que esse número tenha de ser duplicado.”

De acordo com a agência noticiosa angolana Angop, Júlio Joaquim recordou que as linhas de caminho-de-ferro no país estão praticamente reconstruídas e salientou que a pressão exercida pelo mercado, sobretudo no que se refere ao transporte de minérios, vai exigir o aumento significativo da capacidade de tracção. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH