Montagem de computadores em Moçambique aguarda parceiro

24 March 2013

Um projecto para a construção de uma fábrica de montagem de computadores em Moçambique parece ter soçobrado devido a um desentendimento entre o governo moçambicano e o parceiro estrangeiro, a empresa sul-africana Sahara Computers, de acordo com o jornal moçambicano Savana.

O computador, lançado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia em 2009 com o nome Dzowo, uma homenagem ao primeiro presidente do partido actualmente no poder em Moçambique Eduardo “Dzowo” Mondlane, devia ser montado numa fábrica a construir em Maputo e comercializado a um preço mais consentâneo com a bolsa dos moçambicanos.

Tendo ficado decidido que a fábrica montaria, numa fase inicial, 48 computadores por dia, número que seria aumentado para 80 por dia em 2010, nem um único foi montado devido ao facto de a Sahara Computers ter exigido a adopção de medidas proteccionistas para os “Dzowo”.

O jornal Savana escreveu que a empresa sul-africana pretendia ter o monopólio no que se refere ao fornecimento de computadores ao Estado moçambicano, o que não conseguiu atendendo a que violava o disposto na legislação em vigor em Moçambique.

Carlos Tamele, quadro do Ministério da Ciência e Tecnologia, disse ao jornal que o governo não desistiu deste projecto tendo encetado negociações com empresas da África do Sul, do Brasil, de Portugal e da Suécia que manifestaram interesse neste negócio.

Os computadores “Dzowo” seriam vendidos a 14 mil meticais (465 dólares) a versão de secretária e a 16 mil meticais os portáteis. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH