Crescimento económico em Angola manter-se-á robusto

27 March 2013

O crescimento económico permanece robusto devendo situar-se em 8% tanto em 2012 como em 2013 mas a dependência do petróleo permanece demasiado elevada, representando 95% das exportações, afirma o Deutsche Bank em documento de análise quarta-feira divulgado.

O Deutsche Bank refere ainda que o crescimento económico deverá manter-se elevado tendo em atenção o aumento da produção de petróleo, que em 2012 se situou em 1,75 milhões de barris por dia, associado ao início da exportação de gás natural do projecto Angola LNG.

Relativamente aos pontos fortes, o banco refere, além do crescimento económico, o grande excedente da balança corrente que, embora em contracção continua elevado, a melhoria do sistema tributário, o aumento das reservas sobre o exterior para mais de oito meses de importações em 2012 e que se prevê venham a crescer ainda mais e uma taxa de inflação de apenas um dígito.

Quanto aos pontos fracos o Deutsche Bank menciona, além da elevada dependência do petróleo, a existência de instituições fracas e a opacidade na utilização dos recursos públicos.

O documento de análise salienta igualmente o facto de o aparecimento de um sector privado em Angola estar a ser progressivamente empurrado pelos investimentos do sector público, por má regulação e pela falta de quadros.

O Fundo Soberano de Angola lançado com um capital inicial de 5 mil milhões de dólares, deverá para os analistas do Deutsche Bank crescer rapidamente e será, caso seja bem gerido, uma base sólida para a diversificação da economia através de investimentos em infra-estruturas, agricultura e hotelaria/turismo. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH