Grupo Nippon Steel poderá rever interesse em projecto mineiro em Moçambique

11 April 2013

O grupo japonês Nippon Steel & Sumitomo Metal Corp poderá rever a sua participação no projecto mineiro em Moçambique Minas do Revuboé caso não apareça um parceiro principal com experiência na exploração mineira, disse recentemente um quadro executivo do grupo.

“No fundo somos produtores de aço e se o principal parceiro do consórcio não tiver uma sólida experiência mineira então o projecto em Moçambique deixa parte do interesse”, disse Shinichi Fujiwara à agência financeira Reuters.

No início do mês, o grupo AngloAmerican anunciou ter desistido da compra de uma participação de 58,9% no projecto de exploração de carvão de coque Minas do Revuboé, em Moçambique, pelo montante de 555 milhões de dólares.

O grupo, que recentemente anunciou prejuízos de 239 milhões de libras em 2012 devido à redução dos preços de algumas matérias-primas e uma imparidade de 4,9 mil milhões de dólares no projecto de minério de ferro Minas-Rio, no Brasil, salientou no comunicado que a transacção dependia de algumas condições que não foram satisfeitas após nove meses de negociações, pelo que “foi decidido não avançar com o negócio.”

As afirmações de Shinichi Fujiwara foram proferidas uns dias após a Nippon Steel Trading Co., subsidiária do grupo japonês, ter obtido a licença de exploração do projecto mineiro Minas do Revuboé onde tem actualmente como único parceiro o grupo sul-coreano Posco, igualmente um produtor de aço.

O projecto Minas do Revuboé dispõe de reservas estimadas em 1400 milhões de toneladas, estando projectada uma produção anual de 5 milhões de toneladas de carvão de coque, pretendendo o grupo japonês pretende importar cerca de 1,7 milhões de toneladas de carvão ou 6% das suas importações anuais do produto. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH