Atraso no desembolso internacional de fundos está a adiar reparação de estrada em Moçambique

17 April 2013

A interrupção sem aviso do desembolso de fundos para pagar as obras de reparação da estrada Malema/Cuamba, em Moçambique, poderá impedir que a empreitada fique concluída dentro do prazo acordado, de acordo com o matutino Notícias, de Maputo.

A empreitada para a reparação do troço rodoviário entre o distrito de Malema, na província de Nampula e a cidade de Cuamba, na vizinha província do Niassa, numa extensão de 144 quilómetros, está orçamentada em 1909 milhões de meticais (62,6 milhões de dólares), montante a ser desembolsado por instituições financeiras e pela cooperação internacional.

No decurso de um encontro ocorrido há dias entre o empreiteiro, a empresa portuguesa Gabriel Couto, e a governadora provincial de Nampula, foi revelado que o Banco Africano de Desenvolvimento, a Agência Japonesa para a Cooperação Internacional e o Banco de Exportações e Importações (ExIm) da Coreia do Sul não estão a canalizar os fundos dentro do cronograma previamente estabelecido no acordo de financiamento.

Nuno Azevedo, representante do empreiteiro, disse que o atraso no desembolso de fundos está a colocar a empresa numa posição desconfortável a nível das relações com os fornecedores de materiais de construção, porque não pode proceder ao levantamento dos mesmos dentro dos prazos acordados.

“Fazemos esforços para continuar a pagar salários mas não conseguimos contornar a escassez de materiais de construção além de combustíveis e lubrificantes para garantir a execução das nossas obrigações contratuais em relação a este eixo rodoviário cujo prazo de execução expira em Abril de 2015”, disse ainda Nuno Azevedo, para quem o nível de execução da obra, iniciada há cerca de um ano, se situa em 17%, um valor considerado baixo. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH