Mais de 50 novos blocos petrolíferos vão ser levados a leilão em Angola

28 April 2013

A Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) pretende levar a leilão nos próximos dois anos 54 novos blocos petrolíferos nas bacias do Cuanza, Congo e do Namibe, anunciou quinta-feira em Madrid o presidente da estatal petrolífera.

No decurso do Fórum Económico Angola-Espanha, Francisco de Lemos adiantou que o governo de Angola, em paralelo com a colocação em concurso de mais blocos, pretende ver um número crescente de empresas angolanas envolvidas na exploração dos recursos petrolíferos do país.

Sabendo-se que o sector petrolífero é bastante exigente em recursos, organização, tecnologia e capital financeiro e sendo igualmente conhecido que muitas empresas angolanas ainda não estão em condições de reunir todos esses recursos, o presidente da Sonangol adiantou que tal situação representaria uma excelente oportunidade para a constituição de parcerias.

Francisco de Lemos revelou ter o governo de Angola dado já autorização para o lançamento do concurso de 15 blocos em terra na bacia do Cuanza, estando a Sonangol, neste momento, a ultimar os procedimentos legais e adiantou ter sido desenvolvido um “programa específico” a aplicar no leilão a fim de permitir que todas as companhias angolanas que forem seleccionadas e que demonstrem ter capacidade entrem em operações no sector petrolífero.

De Lemos recordou que a conclusão da refinaria do Lobito, que entrará parcialmente em funcionamento de 2017 e que terá capacidade para processar 200 mil barris de petróleo por dia, vai permitir que se acelere o processo de substituição das importações de combustíveis e criar condições para a alteração do sistema tarifário. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH