Banco de Moçambique revê em baixa para 7% taxa de crescimento da economia em 2013

29 April 2013

A previsão da taxa de crescimento da economia de Moçambique em 2013 foi revista em baixa de 8% para 7%, em consequência das cheias que no início do ano afectaram sobretudo a zona sul do país, afirmou segunda-feira em Maputo um administrador do Banco de Moçambique.

Ao proceder à apresentação da publicação “Conjuntura Económica e Perspectivas de Inflação”, referente a Abril de 2013, o administrador Waldemar de Sousa afirmou igualmente que a taxa inflação para 2013 será maior do que a registada em 2012.

“Em 2012 fechámos o ano com uma inflação de cerca de 2% mas este ano a taxa será mais elevada embora se deva manter com apenas um dígito”, adiantou de Sousa, para acrescentar que as previsões irão sendo afinadas ao longo do tempo.

No Plano Económico e Social (PES) para este ano, o governo previa um crescimento económico de 8%, que agora perde um ponto percentual de acordo com as previsões do banco central.

Waldemar de Sousa informou ainda que em 2012 Moçambique atingiu um novo recorde na captação de Investimento Directo Estrangeiro, que atingiu 5218 milhões de dólares, depois de 2603 milhões de dólares em 2011.

Na semana passada, Faúsio Mussa, economista sénior do Standard Bank, disse em Maputo que a economia de Moçambique deverá crescer no máximo 6% este ano, devido precisamente às cheias registadas no início do ano.

No decurso do “Economic Briefing”, que reuniu em Maputo cerca de 200 agentes económicos e clientes da instituição bancária, Mussa disse que “tomando em consideração o impacto negativo das cheias, revimos em baixa a nossa previsão de crescimento económico para 2013, para um nível de 6%, inferior à média da última década e igualmente inferior à previsão inicial do governo.” (macauhub)

MACAUHUB FRENCH