Grupo português Galp Energia reafirma interesse na exploração de gás natural em Moçambique

29 April 2013

O grupo português Galp Energia tem capacidade financeira para investir na produção de gás em Moçambique e não tem planos para vender a participação de 10% que controla no consórcio que faz prospecção no bloco Área 4, afirmou o presidente executivo do grupo.

“Uma participação de 10% é muito mas temos capacidade para subscrever os investimentos associados à exploração do gás natural e não temos planos para alienar essa participação”, disse Manuel Ferreira de Oliveira durante a apresentação dos resultados do grupo.

Numa nota de análise divulgada há duas semanas, o banco Caixa BI disse que o grupo Galp Energia pode não ter capacidade financeira para estar no projecto uma vez que o retorno é menor do que numa exploração de petróleo e ponderou a hipótese de uma parcela da participação de 10% ser vendida.

No entanto, Manuel Ferreira de Oliveira não afastou a possibilidade de o grupo efectuar uma operação semelhante à realizada no Brasil, onde foi vendida ao grupo chinês Sinopec uma participação de 30% na Petrogral Brasil.

O grupo ENI é o operador do bloco Área 4, com 70% (a venda de uma participação de 20% ao grupo China National Petroleum Corporation (CNPC) está ainda dependente da aprovação das autoridades moçambicanas), tendo como parceiros os grupos português Galp Energia e sul-coreano Kogas e a estatal moçambicana Empresa Nacional de Hidrocarbonetos, todos com 10% cada. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH