Fundo Monetário Internacional em nova missão de análise à Guiné-Bissau

2 May 2013

O Fundo Monetário Internacional (FMI) iniciou quinta-feira a segunda missão à Guiné-Bissau após o golpe de Estado de Abril de 2012, no âmbito da qual vai fazer uma análise exaustiva da situação económica e financeira, informou o ministro das Finanças do governo de transição.

O ministro Abubacar Demba Dahaba reconheceu que a situação no país “não está muito saudável”, tendo em conta a suspensão das ajudas dos doadores internacionais na sequência do golpe de Estado, de acordo com a agência noticiosa portuguesa Lusa.

“Há muitos projectos bloqueados desde 12 de Abril, mas há um esforço e penso que vamos ultrapassar rapidamente as dificuldades”, disse, lembrando que também o Banco Mundial retomou os projectos que tinha em curso na Guiné-Bissau.

A missão do FMI é chefiada por Mauricio Villafuerte, que já tinha estado em Bissau em Fevereiro deste ano.

Após a missão de Fevereiro, o Fundo Monetário Internacional emitiu um comunicado no qual dizia esperar que a economia da Guiné-Bissau recupere este ano, depois de uma queda no ano passado, devido à “retoma da produção e exportação do caju” (principal produto do país).

“A actividade económica foi afectada adversamente pela queda acentuada nos volumes de exportação e preço da castanha de caju e pela diminuição da assistência dos doadores na sequência do golpe de Estado”, podia ler-se no comunicado. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH