Pesca artesanal em Moçambique vai ter uma linha de crédito

26 May 2013

O governo de Moçambique vai criar uma linha de crédito bonificada para os operadores de pesca artesanal que se destina a facilitar a aquisição de embarcações mais sólidas e respectivos motores, anunciou na passada semana em Moma, província de Nampula, o ministro das Pescas.

Victor Borges não revelou o montante da linha de crédito, mas sublinhou que a mesma vai ser gerida pelo Fundo de Fomento Pesqueiro, devendo chegar aos beneficiários através de instituições de micro-finanças a serem seleccionadas.

O ministro precisou que a motorização na pesca artesanal apresenta-se com níveis muito baixos, sendo que das cerca de 40 mil embarcações registadas aproximadamente mil unidades são a motor.

A fraca motorização da pesca em Nampula é uma das razões que fazem com que quase todos os operadores trabalhem num espaço muito limitado, por falta de capacidade para atingir o alto mar, onde o pescado é abundante.

Tais limitações provocam uma maior pressão sobre os recursos pesqueiros de uma zona restrita, o que a curto prazo pode resultar na extinção de algumas espécies, parte das quais protegidas através de instrumentos legais vigentes.

“Com embarcações mais robustas os pescadores podem ir até três milhas, ou seja, cinco quilómetros e aí fazerem capturas de pescado em qualidade e quantidades que possam satisfazer a procura do mercado, garantindo, da mesma forma, a sustentação da actividade”, disse Victor Borges, de acordo com o matutino Notícias, de Maputo. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH