Grupo português Mota-Engil vai recolher resíduos sólidos em Maputo, Moçambique

17 June 2013

O grupo português Mota-Engil ganhou o contrato para proceder à recolha de resíduos sólidos em Maputo, capital de Moçambique, por um período de cinco anos, informou o grupo comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

De acordo com o documento divulgado pelo regulador do mercado, a adjudicação conseguida em Maputo alargou a Moçambique mais um segmento de negócios do grupo em África, que até à data só se havia expandido para Angola.

No mesmo comunicado em que informa ter obtido contratos no valor de 500 milhões de euros em Moçambique, Angola, Zâmbia e Gana, o grupo Mota-Engil adianta que no caso de Moçambique está envolvido nas obras de reparação da linha de caminho-de-ferro do Sena, ao longo dos 550 quilómetros de extensão desde a Beira a Moatize, na província de Tete.

O grupo ganhou ainda o contrato para modernizar 100 quilómetros da linha de caminho-de-ferro de Nacala, entre Nkaya e Entrelagos, no Malawi, projecto enquadrado no corredor de Nacala, por onde será escoado parte do carvão mineral a ser extraído na província de Tete.

Em Angola, o grupo está envolvido em diversos projectos com um valor conjunto de 50 milhões de euros, representando a diferença para os 500 milhões de euros o valor dos contratos obtidos na Zâmbia e no Gana, para reparação de estradas no primeiro caso e de protecção marítima no segundo. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH