Estatal moçambicana Empresa Nacional de Hidrocarbonetos vai ser convertida em operadora petrolífera

23 June 2013

A Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH) de Moçambique vai ser convertida em operadora petrolífera no prazo máximo de 30 anos, anunciou o presidente da empresa, em entrevista ao matutino Notícias, de Maputo.

Nelson Ocuane, presidente da empresa gestora das participações do Estado nos projectos de exploração de hidrocarbonetos no país, disse que a ENH pretende valorizar as participações que detém nos 11 projectos de pesquisa e exploração de hidrocarbonetos em curso e que está a lançar as bases para a sua transformação em operadora petrolífera, o que deverá ocorrer dentro de 25 a 30 anos.

Fazendo um ponto de situação das participações da empresa, o responsável disse que, relativamente à bacia do Rovuma, os projectos de pesquisa liderados pela Anadarko Petroleum Corporation (área 1) e pela ENI (área 4) são os que estão mais desenvolvidos, sendo que, em cada um deles, a ENH detém uma quota de 15%.

“Na área de produção, estamos envolvidos no projecto Pande/Temane, operado pela Sasol e neste projecto, a ENH, através da Companhia Moçambicana de Hidrocarbonetos, participa com 25%”, referiu.

Igual participação (25%) tem a empresa no gasoduto que liga a região de Temane, na província de Inhambane, no sul do país, à África do Sul, numa extensão de 875 quilómetros e que é explorado pela sul-africana Sasol (50%) e pelo governo daquele país vizinho (25%).

Ainda de acordo com o responsável, a previsão de investimentos para a criação de unidades de liquefacção de gás deverão situar-se entre 14 mil milhões e 20 mil milhões de dólares, nos próximos anos, sendo a comparticipação financeira da ENH de 700 milhões de dólares se forem construídas duas unidades e de mil milhões de dólares se forem construídas quatro unidades.

Nesta entrevista, o presidente da ENH reforçou novamente a afirmação de que as participações da empresa não estão à venda. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH