Ásia e a Europa são os melhores clientes do gás natural de Angola

25 June 2013

Os países da Ásia e os membros da União Europeia são os estados que, actualmente, oferecem os melhores preços para a comercialização do gás natural liquefeito (GNL) produzido em Angola, disse terça-feira, em Luanda, o ministro dos Petróleos, José Maria Botelho de Vasconcelos.

O ministro, que seguiu para a Namíbia a fim de assinar um acordo no sector dos petróleos e gás natural, disse ainda que embora o primeiro carregamento de GNL tenha seguido para o Brasil, depois de adquirido pela Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol), os melhores preços encontram-se no continente asiático e na Europa.

O referido projecto, acrescentou o ministro, faz o aproveitamento do gás associado ao petróleo e a Sonangol e seus parceiros continuam a trabalhar para descobrir outras fontes de gás não associado e conhecer as reservas que o país dispõe para que Angola possa também ser uma referência no domínio da produção de gás no futuro.

Botelho de Vasconcelos recordou o acordo assinado há mais de quatro anos com o seu congénere da Índia, que tem permitido a intervenção de empresas indianas no projecto de GNL, que começou a funcionar na cidade do Soyo, província do Zaire.

A Índia, através da sua empresa nacional, tem adquirido petróleo em rama em Angola, havendo também a cooperação com a Sonangol no domínio da formação de marinheiros para os navios que estão a transportar o gás natural. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH