Furos de prospecção de gás vão ser efectuados no bloco do Búzi, em Moçambique

1 July 2013

Dois furos vão ser efectuados nos próximos meses no bloco do Búzi, na província de Sofala, para avaliar a possibilidade de exploração comercial das reservas de gás natural aí descobertas, disse o presidente da Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH) de Moçambique, Nélson Ocuane.

Reservas de gás natural foram descobertas naquele bloco na década de 60 do século passado mas a quantidade encontrada foi considerada como não permitindo uma exploração comercial viável pelo que o governo de Moçambique entregou aquela área em regime de concessão à empresa PT Kalila Indonesia para a realização de estudos mais aprofundados.

De acordo com o matutino Notícias, de Maputo, Nélson Ocuane, presidente da estatal que tem uma participação de 25% naquele bloco, adiantou estar a decorrer uma segunda fase de aquisição de dados sísmicos a fim de determinar quais as melhores zonas para a abertura de furos de prospecção.

Ocuane disse ainda que para a exploração comercial seja viável é necessário que existam reservas de pelo menos 1,5 biliões de pés cúbicos de gás natural, quantidade que seria suficiente para sustentar pelo menos o consumo interno, incluindo a produção de energia eléctrica.

Até ao momento foram investidos no bloco do Búzi 7,7 milhões de dólares, devendo a Empresa Nacional de Hidrocarbonetos contribuir com cerca de dois milhões de dólares, o correspondente a 25% do orçamento global.

O bloco do Búzi está localizado ao longo da bacia sedimentar de Moçambique, uma das regiões menos exploradas até ao momento do ponto de vista de conhecimento do seu potencial em hidrocarbonetos.

A única exploração comercial de gás natural na bacia sedimentar de Moçambique está a ser feita pelo grupo sul-africano Sasol, nomeadamente nos jazigos de Pande e Temane, na província de Inhambane, que exporta a maior parte da produção para a África do Sul. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH