Cabo Verde tem condições para ser plataforma financeira na África Ocidental

10 July 2013

Cabo Verde tem todas as condições para se constituir numa plataforma de serviços financeiros na África Ocidental, afirmou na cidade da Praia o presidente da sucursal do Banco Espírito Santo (BES) no arquipélago, Pedro Cudell.

Para assinalar o terceiro aniversário do Banco Espírito Santo Cabo Verde (BES-CV), a instituição promoveu uma conferência, no decurso da qual foi manifestada uma visão optimista do futuro do arquipélago, que apresenta como trunfos o facto de ser um país livre, democrático e “muitíssimo bem classificado” por instituições internacionais como o Instituto Mo Ibrahim.

De acordo com a agência noticiosa pan-africana Panapress, o presidente do BES-CV destacou ainda o facto de Cabo Verde ter “recursos humanos de excelente qualidade e um sistema financeiro equilibrado e muitíssimo bem tutelado pelo banco central.”

Ao intervir na conferência, o governador do Banco de Cabo Verde, Carlos Burgo, destacou o “importante contributo” que o BES Cabo Verde tem dado ao sistema financeiro cabo-verdiano, através, nomeadamente, da disponibilização de serviços a não residentes.

Neste sentido, ele considera que a entrada deste banco português em Cabo Verde constituiu “um sinal encorajador” e de confiança no sector financeiro cabo-verdiano, que terá ficado “mais forte”, sendo também que a presença do BES representa “uma oportunidade de serem exploradas as potencialidades dos mercados de língua portuguesa e da sub-região africana.”

O BES está em Cabo Verde desde 2006 através de uma sucursal financeira no exterior e em Julho de 2010 inaugurou um banco universal de direito cabo-verdiano, o BES-CV, com um capital inicial de 13 milhões de euros. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH