Highland African Mining Company encerra mina de Marropino, em Moçambique

1 August 2013

Um conjunto de factores levou ao recente encerramento da mina de Marropino, distrito de Gilé, província da Zambézia, onde a Highland African Mining Company (HAMC), actualmente Noventa, explorava tântalo, informou o matutino Notícias, de Maputo.

Citando uma fonte do Ministério dos Recursos Minerais, o jornal adianta que desde o início da actividade de exploração a HAMC enfrentou problemas relacionados por um lado com o elevado nível de radiação do metal e pelo outro com as vias de acesso para escoar a produção para um porto.

A fonte disse também que na base do encerramento está o facto de a rocha com maior teor de tântalo ter sido já processada e que aquela que ainda tem metal é mais dura e encontra-se a maior profundidade, elevando os custos de extracção e de processamento com um nível de recuperação de tântalo abaixo do previsto no estudo de viabilidade económica.

Análises financeiras indicam que, para as operações da mina de Marropino, em cada tonelada de material extraído e processado há uma perda de três dólares, tendo a empresa reportado prejuízos acumulados de cerca de 150 milhões de dólares até Junho de 2013.

Além de problemas na fraca qualidade da energia eléctrica fornecida, acresce o facto de ser necessário utilizar um longo trajecto rodoviário até ao porto de Walvis Bay, na Namíbia, dado nenhum porto moçambicano estar certificado para manusear produtos de Classe 7, definida em função da radioactividade do produto.

O encerramento da mina conduziu ao despedimento de 377 trabalhadores que o Ministério dos Recursos Minerais tem procurado sejam absorvidos nas concessões da empresa em Morrua e Mutala. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH