Governo vende 10% do capital da Empresa Moçambicana de Seguros

15 September 2013

A Empresa Moçambicana de Seguros (Emose), a maior e mais antiga seguradora do país, procede na próxima segunda-feira, dia 23, a uma Oferta Pública de Venda (OPV) de 10% das acções representativas do seu capital social, informou uma fonte oficial da empresa.

Destinada a alargar a base de accionistas, a recepção de pedidos de compra para a OPV encerrou sábado, indo ser alienados 15,7 milhões de acções ordinárias nominativas com o valor unitário de 20 meticais, sendo os interessados obrigados a subscrever um mínimo de 50 acções.

O porta-voz da Emose disse ao jornal Mediafax que parte do encaixe resultante da OPV vai ser aplicado no financiamento de iniciativas e projectos que não especificou.

As acções que vão ser vendidas saem da participação de 49% detida pelo Estado na estrutura accionista da Emose, cuja venda concretiza uma decisão nesse sentido tomada há dois anos.

Com a OPV, o Estado reduz a sua participação para 39%, numa empresa que tem ainda como accionistas o Instituto de Gestão de Participações de Estado (Igepe), com 31% e a Cooperativa de Gestores Técnicos e Trabalhadores daquela instituição (Getcoop) com 20%.

Criada em 1977 na sequência da fusão de três seguradoras da era colonial – as companhias de seguros Nauticus, Lusitana e Tranquilidade de Moçambique – a Emose detinha até 1991 o monopólio do ramo dos seguros em Moçambique, o que veio a ser quebrado com a liberalização do sector. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH