Angola vai despender 500 milhões de dólares na melhoria de telecomunicações

30 October 2013

Angola está a despender 500 milhões de dólares na melhoria das telecomunicações sem fio em terra, no mar e no espaço a fim de atrair investimentos e diversificar a economia, muito dependente do petróleo, afirmou o director nacional de Telecomunicações.

Eduardo Sebastião disse à agência financeira Bloomberg que Angola está actualmente envolvida no lançamento de um satélite russo, com um custo de 300 milhões de dólares e lançamento previsto para 2017 e a construção de um cabo submarino de 200 milhões de dólares estabelecendo ligação ao Brasil.

“Queremos incentivar as empresas internacionais a juntarem-se às angolanas e estamos prontos para que os investidores definam as suas próprias estratégias”, disse o director de Telecomunicações, posição que pretende criar não só riqueza mas “bem-estar social, através do aumento do número de postos de trabalho”.

Eduardo Sebastião afirmou que os quatro operadores fixos, incluindo a estatal Angola Telecom e a MS Telecom, uma subsidiária da Sonangol EP, serão autorizados a competir com as operadoras móveis Unitel e Movicel na rede fixa e nos telemóveis.

As operadoras de Angola fazem actualmente parte de um consórcio chamado Cabo Angola e que vai operar os 6 mil quilómetros de cabo submarino de Luanda até Fortaleza, Brasil, sendo que as negociações estão em andamento para arranjar o financiamento, revelou Eduardo Sebastião.

Relativamente ao futuro satélite de telecomunicações, aquele responsável disse que a sua colocação em órbita ajudará Angola a proporcionar melhores ligações para a transmissão de grande volume de dados, ajudando, por exemplo, as empresas petrolíferas na prospecção e perfuração. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH