Governo de Angola pretende substituir importações elevadas por produção nacional

20 November 2013

Angola quer reduzir até 2017 as importações de bens e serviços que actualmente rondam 20 mil milhões de dólares, disse, em Luanda, Luís Domingos, administrador da Agência Nacional de Investimento Privado (ANIP).

Ao dissertar sobre as vantagens da nova Lei de Investimento Privado no decurso do fórum virtual empresarial Angola/Itália, Luís Domingos acrescentou que o governo “olha com preocupação para aquele número considerado elevado, estando a criar condições para substituir as importações, começando pela diversificação dos investimentos estrangeiros.”

O orador pediu aos empresários italianos que aproveitem as oportunidades que Angola oferece, “principalmente nas áreas da indústria, agricultura, pescas, hotelaria e turismo e transportes.”

O fórum empresarial virtual Angola/Itália foi organizado pela Embaixada italiana em colaboração com a Associação Empresarial Angolana Prestígio, tendo o embaixador Giuseppe Mistretta salientando que a sua realização deve-se ao facto de Angola estar a crescer a taxas elevadas e às oportunidades oferecidas para diversificação da economia.

O embaixador disse que as trocas comerciais entre Angola e Itália em 2012 atingiram 954 milhões de dólares, com Angola a exportar para Itália petróleo e rochas ornamentais no valor de 671 milhões de dólares e a importar a diferença em máquinas, bens alimentares, matérias plásticas e de preparação de ferro e aço. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH