China vai lançar para o espaço satélite sino-brasileiro CBERS-3

2 December 2013

O novo satélite de recursos terrestres construído pelo Brasil em parceria com a China deverá segunda-feira ser lançado para a sua posição geo-estacionária a bordo de um foguetão chinês de 45 metros do modelo Chang Zhen 4B, informou a imprensa brasileira.

Com um custo de 250 milhões de dólares dividido em partes iguais entre os dois países, o satélite, conhecido por CBERS-3 e cujo lançamento ocorre três anos após o previsto, ficará posicionado a 778 quilómetros de altitude e disporá de quatro máquinas fotográficas para observar a superfície do planeta, duas das quais construídas pelo Brasil e duas pela China, com diferentes resoluções e características espectrais.

“São máquinas extremamente evoluídas, que representam um salto tecnológico significativo em relação aos satélites anteriores”, disse o director do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, Leonel Perondi.

Uma das máquinas brasileiras, chamada MuxCam, vai observar uma faixa de terra de 120 quilómetros de largura, permitindo digitalizar toda a superfície do planeta em 26 dias, com vinte metros de resolução.

A outra, chamada WFI, terá uma resolução menor (de 64 metros), mas terá capacidade para digitalizar uma faixa muito maior (de 866 quilómetros), o que permitirá observar qualquer ponto da Terra repetidamente de cinco em cinco dias.

De acordo com a imprensa brasileira, as expectativas quanto a este lançamento são grandes, uma vez que um fracasso poderá significar um golpe quase fatal para o já frágil programa espacial brasileiro, que luta para se manter vivo no meio de uma série de limitações financeiras, tecnológicas e estruturais. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH