Banco de Desenvolvimento de Angola com 17% de crédito malparado

14 January 2014

O crédito malparado no Banco de Desenvolvimento de Angola rondava, em Dezembro último, 17% do total da carteira de crédito avaliada em cerca de 94 mil milhões de kwanzas, revelou Valter Barros, administrador executivo da instituição.

Em declarações ao jornal angolano Expansão, Valter Barros, que tem o pelouro da Contabilidade, revelou ainda que até 20 de Dezembro o banco tinha abertas 726 operações de crédito distribuídas pelas 18 províncias de Angola.

Aquele responsável disse também que muito do crédito em situação de incumprimento decorre, não de uma responsabilidade directa dos clientes, mas, muitas vezes, de situações conjunturais ligadas à importação de equipamentos e atrasos nas Alfândegas.

Valter Barros adiantou que diversos clientes que solicitaram créditos para a importação de equipamentos negociaram com o banco um prazo de carência e perante “atrasos ou nas Alfândegas ou até nas obras para a instalação de uma indústria”, não dialogam com a instituição “antes de o prazo vencer”, para renegociar o produto.

Os créditos concedidos pelo Banco de Desenvolvimento de Angola são, na sua maioria, de médio e longo prazo.

O BDA é o gestor do Fundo Nacional de Desenvolvimento, alimentado por 5% das receitas globais anuais provenientes da tributação sobre a actividade petrolífera e 2% das receitas fiscais dos diamantes.

Em média, o banco recebe anualmente do Tesouro Nacional, destas duas rubricas, mais de 300 milhões de dólares, valor que varia em função do preço do petróleo, sendo que o saldo desta conta andará à volta dos 2 mil milhões de dólares. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH