Empresa de diamantes de Angola vai retomar exploração de quimberlitos

16 January 2014

A Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama) vai procurar retomar a exploração das minas Shiri, Sangamina, Camafuca e Camazambo por serem quimberlitos com reservas confirmadas, afirmou quarta-feira, em Luanda, o presidente da empresa.

Na sessão comemorativa do 33º aniversário da empresa, António Carlos Sumbula disse que devido à situação do mercado internacional a empresa não tinha conseguido até à data encontrar o ponto de equilíbrio que permitisse explorar estes kimberlitos.

“Actualmente o mercado está suficientemente alto e estamos na fase de negociarmos com os investidores para que a exploração destes quimberlitos tenha início nos próximos dois anos”, sublinhou, de acordo com a agência noticiosa Angop.

Relativamente ao trabalho desenvolvido com o grupo russo Alrosa, o presidente da Endiama informou que depois de todos os estudos feitos concluiu-se que os diamantes de aluvião extraídos no país durante 100 anos são provenientes de quimberlitos por descobrir, enquanto apenas 10% de diamantes extraídos no mesmo período vieram de quimberlitos conhecidos.

“Quer dizer que temos a tarefa de encontrar cerca de 90% de quimberlitos desconhecidos”, salientou Carlos Sumbula.

Relativamente à actividade extractiva da empresa, referiu que a Endiama conseguiu repor em actividade uma boa parte das minas que paralisaram durante o período de crise.

A Endiama, constituída em 1981, é a empresa pública responsável pela prospecção, exploração, lapidação e comercialização de diamantes em Angola, país que é um dos cinco maiores produtores mundiais de diamantes em valor e um dos dez maiores em quantidade. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH