Blocos de petróleo a leiloar em Angola têm mais de 7 mil milhões de barris

27 January 2014

Os 10 blocos que a petrolífera angolana Sonangol vai colocar em leilão representam mais de metade das reservas conhecidas de petróleo de Angola, disse segunda-feira em Luanda Severino Cardoso, director de exploração da estatal angolana.

Na sequência da primeira apresentação do potencial dos 10 blocos, sete dos quais se situam na bacia do rio Cuanza e os restantes três na do rio Congo, Severino Cardoso precisou que as reservas estimadas são de pelo menos sete mil milhões de barris.

Citado pela agência noticiosa Lusa, Paulino Jerónimo, da administração da Sonangol, destacou o interesse da petrolífera angolana em ver empresários nacionais a participar, “de forma gradual e ponderada”, nos leilões, mas reconheceu que a indústria petrolífera exige capital intensivo.

Como exemplo disse que os custos de exploração de poços no mar são de 100 milhões de dólares, enquanto em terra se situam entre 15 milhões e 20 milhões de dólares.

Para evidenciar o potencial da capacidade disponível, o administrador da Sonangol adiantou que a exploração petrolífera nas bacias do Cuanza e do Congo chegou a ser feita no passado pelas empresas Fina e Total, tendo, somente no poço Canguela Norte, a 60 quilómetros de Luanda, a Fina extraído 100 milhões de barris.

Paulino Jerónimo anunciou ainda que a empresa pretende realizar um segundo leilão de cinco blocos no mar angolano, sendo quatro na bacia do rio Cuanza e o restante na do rio Congo.

Estes cinco blocos apenas serão leiloados dentro de dois anos e meio a quatro anos, e vão ser alvo de avaliação geofísica e geológica pela Sonangol, destacou. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH