Moçambique e Angola entre os países africanos a sul do Saara que mais vão crescer até 2023

26 February 2014

Moçambique é o país da África a sul do Saara que mais vai crescer na próxima década, prevê a consultora Business Monitor International no relatório sobre os “African Lions”, que inclui também Angola na lista dos dez países mais promissores.

No relatório, os consultores britânicos estimam que o Produto Interno Bruto da África a sul do Saara cresça, em termos reais, a uma média de 5,5% ao ano até 2023, o que contrasta com os 5,4% da Ásia e Pacífico excluindo o Japão, os 4,3% do Médio Oriente e norte de África, os 3,9% da América Latina e os 3,5% dos países emergentes na Europa.

“Esta perspectiva levou os observadores a cunharem o termo ‘Leões Africanos’ que, tal como os ‘Tigres Asiáticos’, têm economias que estão a passar por períodos de rápido crescimento e grande interesse dos investidores”, lê-se no relatório da BMI, uma consultora baseada em Londres e com escritórios em Nova Iorque, Singapura e África do Sul, citado pela agência noticiosa Lusa.

Os dez países escolhidos, ordenados pelo nível de crescimento previsto para a próxima década, são Moçambique, Tanzânia, Costa do Marfim, Uganda, Nigéria, Zâmbia, Angola, Gana, Quénia e Etiópia.

O texto de 54 páginas que analisa as dez economias mais promissoras em África explica também os critérios de escolha (todos os países têm de valer mais do que 10 mil milhões de dólares, ter mais de 40 pontos em 100 possíveis na análise sobre o risco do país e 30 em 100 na análise sobre o ambiente empresarial) e sublinha que todas estas economias vão mais do que duplicar de tamanho em termos de PIB nominal. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH