Angola solicita apoio institucional do Brasil para o sector do café

5 March 2014

O governo de Angola solicitou o apoio institucional do Brasil em investigação científica e experimentação cafeícola e assistência técnica na realização de estudos e acções conjuntas, informou em comunicado a embaixada de Angola no Reino Unido.

O pedido foi apresentado quarta-feira pelo representante de Angola junto das organizações internacionais no Reino Unido, Miguel Gaspar Fernandes Neto, à margem da 112ª Conferência Mundial do Café, que decorreu de 3 a 5 de Março corrente.

O também embaixador de Angola no Reino Unido e na Irlanda solicitou que o Brasil ajude Angola a fortalecer as suas cooperativas produtoras de café, a incentivar os jovens produtores de café e a apoiar as mulheres do sector na formação e organização das respectivas associações.

No decurso de um encontro em que participaram o vice-ministro brasileiro da Agricultura, Geraldo Fontellas, o representante permanente do Brasil na Organização Internacional do Café, embaixador Pita Gama e o director do Instituto Angolano do Café, João Ferreira, o embaixador de Angola solicitou que o apoio institucional inclua a troca de informações sobre cadastro geoeconómico bem como sobre a utilização de equipamento moderno.

Dados estatísticos da Organização Internacional de Café revelam que Angola produziu 50 mil sacas em 2013, depois de 33 mil em 2012, enquanto o Brasil, o maior produtor mundial, produziu 49,1 milhões de sacas, uma pequena quebra relativamente aos 50,8 milhões de sacas registados um ano antes.

Antes da independência de Portugal, em 1975, Angola era um dos principais produtores mundiais com 4 milhões de sacas ou 240 mil toneladas mas a guerra civil que se registou entre a independência e 2002 destruiu na quase totalidade as plantações de café. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH