Estação de Investigação e Experimentação de Café do Uíge, Angola, retoma funcionamento este ano

12 March 2014

A Estação de Investigação e Experimentação de Café do Uíge está a ser restaurada devendo retomar este ano a actividade de investigação e experimentação, disse o director da delegação provincial do Instituto Nacional de Café de Angola (INCA).

Vasco Gonçalves disse à agência noticiosa Angop que após a criação das condições necessárias, que passam pela segurança da zona, limpeza dos talhões e contratação de técnicos, poder-se-á retomar a investigação e experimentação das culturas de café, cacau, palmeira-de-óleo-africana (dendém) e outras plantas de sombra.

A estação do Uíge abrange uma área de 44 mil hectares, onde existem actualmente 13 500 plantas de café, mais de 7 mil mudas em talhões de ensaios e mais 15 mil mudas de palmeiras provenientes das províncias de Cabinda, Cuanza Norte, Cuanza Sul e Bengo, bem como dois campos de ensaio para o cacau.

“Em 2013, a estação de café do Uíge forneceu cerca de 200 mil mudas de café e outras oito mil de palmeira-de-óleo-africana aos diversos produtores da região, com vista ao relançamento da produção”, sublinhou.

Na passada semana, Angola pediu formalmente o apoio institucional do Brasil em investigação científica e experimentação cafeícola e assistência técnica na realização de estudos e acções conjuntas.

Dados estatísticos da Organização Internacional de Café revelam que Angola produziu 50 mil sacas em 2013, depois de 33 mil em 2012.

Antes da independência de Portugal, em 1975, Angola era um dos principais produtores mundiais de café com 4 milhões de sacas ou 240 mil toneladas. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH