Florestas do planalto central de Angola em risco de extinção

12 March 2014

As florestas de Cuima, Bunjei e Alto Chiumbo, nas províncias do Huambo e Huíla, em Angola, deixarão de existir dentro de 7 a 8 anos caso o ritmo de exploração de forma não sustentada se mantenha, de acordo com o estudo oficial Plano de Gestão Florestal.

As queimadas e a extracção de madeira para a construção de casas e a produção de lenha causaram em dois anos e meio uma redução de 22% dos polígonos florestais do planalto central de Angola, de acordo com um estudo Plano de Gestão Florestal, quarta-feira apresentado em Luanda.

Na apresentação do estudo, o ministro da Agricultura e do Desenvolvimento Rural Afonso Pedro Canga classificou a situação de “preocupante”, anunciando que no próximo dia 23, para assinalar o Dia Mundial das Florestas, vai ser lançada a campanha de plantação de um milhão de árvores por ano na província do Huambo.

Realizado entre 2010 e 2012, o estudo do Ministério da Agricultura visou avaliar a situação actual e lançar um plano de acção para prevenção das queimadas e controlo da retirada de madeira de forma não sustentável nos polígonos florestais.

O estudo do inventário florestal do planalto central iniciou-se em 2010 e os seus resultados foram actualizados em 2012. (macauhub)

MACAUHUB FRENCH