Accionistas angolanos da Unitel querem comprar posição do grupo Portugal Telecom

22 April 2014

A empresária Isabel dos Santos e os restantes accionistas angolanos da Unitel comunicaram à Portugal Telecom que querem exercer o direito de preferência na aquisição das acções que o grupo português detém na empresa angolana, de acordo com o jornal português Público.

Citando uma carta enviada à Portugal Telecom, o jornal adianta que os accionistas angolanos argumentam com a “violação do acordo parassocial pela PTI [PT Internacional], no processo de celebração do acordo de fusão com a sociedade brasileira Oi” para exercerem o direito de preferência na aquisição das acções que representam 25% do capital social da Unitel.

O banco português BPI avaliou recentemente a posição da PT na Unitel em 930 milhões de euros (contabilizando os dividendos que são devidos pela empresa angolana).

De acordo com o documento, os accionistas angolanos da Unitel (onde também se encontram a Sonangol, através da empresa Mercury) defendem que a fusão entre a PT e a Oi, que envolve a PTI (sociedade através do qual é detida a posição na Unitel), “implica, indirectamente, uma alteração na estrutura accionista da Unitel uma vez que a accionista de controlo final da PTI deixará de ser a PT SGPS e passará a ser a Oi e a CorpCo.” (macauhub/AO/PT)

MACAUHUB FRENCH