Técnicos chineses fazem produtividade de arroz triplicar em Moçambique

25 April 2014

As tecnologias de produção de arroz introduzidas por técnicos chineses no regadio do Baixo Limpopo, em Moçambique, vão permitir que a produtividade por hectare aumente de 2 toneladas para pelo menos 6 toneladas, afirmaram agricultores que operam naquela região.

De acordo com o matutino Notícias, de Maputo, os agricultores contactados, ressalvando o facto de a campanha não estar ainda concluída, disseram antecipar a possibilidade de ver a produtividade por hectare triplicar relativamente às duas toneladas conseguidas com os métodos de produção tradicionais.

Com a introdução dos novos métodos registou-se em simultâneo, informou o Notícias, uma redução significativa dos custos para a produção de arroz, que anteriormente se situavam em 50 mil meticais por hectare, para 32 mil meticais.

O envolvimento dos produtores nesta nova experiência, de acordo com informações facultadas por Armando Ussivane, presidente da estatal Regadio do Baixo Limpopo (RBL), surgiu no âmbito de uma parceria público-privada resultante de um acordo bilateral entre os governos da China e de Moçambique em Abril de 2007.

Para o efeito, foi assinado um memorando de entendimento para a transferência de tecnologias de produção entre os governos das província de Gaza e de Hubei, do qual resultou, numa primeira fase, a cedência de 300 hectares à empresa Liafeng Overseas Agriculture Development Co Limited.

Três anos depois, os chineses identificaram variedades de alto potencial produtivo atingindo rendimentos na ordem de 8 a 10 toneladas por hectare, tendo no entretanto a Hubei Lianfeng Overseas Agriculture Development Co. sido substituída pela China Wanbao Oil & Grain Co.

Em Dezembro de 2012 foi formalmente assinado o contracto de exploração de 20 mil hectares entre a estatal Regadio do Baixo Limpopo e a China Wanbao Oil & Grain Co. (macauhub/MZ/CN)

MACAUHUB FRENCH