Angolana Sonangol tem como meta para 2020 a extracção de 3 mil milhões de barris de petróleo

2 May 2014

A Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) pretende extrair, até 2020, três mil milhões de barris de petróleo e gás associado, disse, em Luanda, o administrador para a área de exploração e produção da companhia, Paulino Jerónimo.

No decurso de um encontro sobre gás natural, numa promoção da empresa argentina Pluspetrol, Paulino Jerónimo disse que, para se atingir aquele objectivo até 2020, a Sonangol deverá contar com a colaboração de todas as empresas associadas, pois o gás está a ser uma fonte de riqueza para muitos países.

A Sonangol tem agendado para o próximo dia 30 de Maio um leilão de 10 novos blocos para exploração, nas bacias terrestres dos rios Cuanza e Congo, sete dos quais na bacia do Cuanza e os restantes na do Congo.

Em Janeiro passado, Severino Cardoso, director de Exploração da Sonangol, disse em Luanda que os 10 blocos representam mais de metade das reservas conhecidas de petróleo de Angola, ou seja, pelo menos 7 mil milhões de barris.

Em Outubro de 2013, o ministro dos Petróleos angolano, Botelho de Vasconcelos, disse que as reservas do país atingem 12,6 mil milhões de barris e o administrador Paulino Jerónimo disse que a partir de 2015 já se poderá começar a extrair petróleo dos 10 blocos que vão ser leiloados.

Angola é actualmente o segundo maior produtor de petróleo na África a sul do Saara, depois da Nigéria, com cerca de 1,7 milhões de barris/dia e o objectivo é atingir 2 milhões em 2017, depois de anteriormente ter sido equacionado o ano de 2015. (macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH