China State Grid Corp será o principal financiador do projecto moçambicano Cesul

9 May 2014

O grupo China State Grid Corp vai ser o principal financiador do Projecto de Desenvolvimento Regional de Transporte de Energia entre o Centro e o Sul (Cesul) de Moçambique, confirmou à macauhub, em Maputo, o ministro da Energia moçambicano, Salvador Namburete.

Envolvendo investimentos de cerca de dois mil milhões de dólares, o projecto Cesul, localmente denominado de “espinha dorsal”, não tinha, até agora, um financiador conhecido, embora várias empresas, como a sul-africana Eskom, a francesa EDF ou a brasileira Electrobras, tivessem manifestado interesse em participar no seu desenvolvimento.

“Os parceiros estão a discutir os pormenores, uma vez que é um projecto extremamente sensível, que envolve um grande investimento e vários parceiros nacionais e internacionais”, afirmou Salvador Namburete, adiantando que o “principal financiador” será a empresa chinesa.

O interesse da China State Grid Corp no projecto Cesul foi publicamente conhecido aquando do anúncio da compra de 7,5% do capital da Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB) pela empresa portuguesa Rede Energéticas Nacionais (REN), na qual a companhia chinesa detém uma participação de 25%.

A entrada da REN no capital da HCB permitiu ao Estado português, a quem empresa comprou a participação, sair em definitivo da estrutura accionista da hidroeléctrica moçambicana, tendo o negócio sido anunciado como temporário, na medida em que o interesse da empresa portuguesa passava por assegurar a sua presença no projecto Cesul.

A “espinha dorsal” tem sido apontada pelo governo moçambicano como uma infra-estrutura estratégica para o desenvolvimento da rede de distribuição de energia do país, bastante dependente da estrutura distribuidora da Eskom, da África do Sul.

Ao seu desenvolvimento estão a ser associados outros projectos de interesse nacional no sector energético, como é o caso da Hidroeléctrica de Mpanda Nkuwa, que tem um potencial de produção de 1500 megawatts, e que Salvador Namburete, considerou, de resto, fundamental para a própria edificação da Cesul.

De acordo com o ministro moçambicano, que participou na quinta-feira na conferência “Powering Africa – Mozambique”, o desenvolvimento dos diferentes projectos de produção de energia que o país tem em carteira poderão envolver investimentos superiores a 15 mil milhões de dólares. (macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH