FMI defende melhoria do ambiente de negócios para as PME em Moçambique

13 May 2014

O Fundo Monetário Internacional louvou o forte desempenho económico e baixa inflação do país mas advertiu para a necessidade de ser melhorado o ambiente de negócios para as pequenas e médias empresas, em comunicado recentemente divulgado em Washington.

Citado pela agência noticiosa AIM, o documento louva ainda a estratégia governamental de redução da pobreza mas recorda que em 2013 houve uma contracção nas verbas consignadas para esse combate.

O vice-director-geral do FMI, Naoyuki Shinohara, salientou que a política orçamental este ano é “expansionista”, reflectindo factores temporários como a realização de eleições gerais e alguns investimentos públicos mas frisou ser necessário proceder à consolidação fiscal a médio prazo.

“É necessário manter uma política monetária vigilante e estar-se preparado para agir a fim de manter a taxa de inflação dentro do intervalo de médio prazo definido pelas autoridades”, disse ainda aquele quadro do Fundo.

O vice-director-geral adiantou que a contracção de empréstimos externos pode ajudar a executar projectos de infra-estruturas mas recordou a necessidade de uma análise transparente desses projectos e na fase de execução um acompanhamento rigoroso a fim de garantir que os recursos públicos são bem utilizados.

Doris Ross, que liderou a mais recente missão do FMI a Moçambique, disse na altura ser necessário que o governo seja mais transparente nas decisões e nas prioridades de investimento, atendendo a que a maior parte do investimento realizado é feito com recurso a empréstimos internos e externos “cujo montante está a crescer.”

A missão manifestou-se particularmente preocupada com uma emissão de obrigações no montante de 850 milhões de dólares da Empresa Moçambicana de Atum (Ematum), que teve a garantia do Estado. (macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH