Vale Moçambique com prejuízos de 44 milhões de dólares no 1º trimestre

26 May 2014

A Vale Moçambique, subsidiária do grupo brasileiro Vale, registou um prejuízo de 44 milhões de dólares no primeiro trimestre, anunciou em Maputo o recém-chegado director Pedro Gutemberg, que substituiu Ricardo Saad.

Aquele responsável precisou que os prejuízos decorrem dos elevados custos operacionais no sector do carvão em Moçambique e à queda vertiginosa do preço do minério no mercado internacional.

Se há dois anos o preço da tonelada de carvão se situava em 250 dólares no mercado internacional, actualmente a mesma quantidade está cotada a cerca de 100 dólares, adiantou Pedro Gutemberg.

O director da Vale Moçambique afirmou que, por exemplo, a competitividade da indústria de carvão em Moçambique é muito baixa quando comparada com a Austrália, detentora de cerca de 60% da produção mundial de carvão metalúrgico e onde o grupo está igualmente envolvido na extracção de carvão.

Pedro Gutemburg salientou ser necessário garantir a eficiência máxima ao longo de toda a cadeia de valor da produção de carvão em Moçambique, tendo acrescentado que caso tal não seja possível “os resultados manter-se-ão negativos e dificilmente vamos conseguir atrair novos investimentos.”

O novo director da Vale Moçambique disse que a empresa traçou um diagnóstico das condições do mercado global do carvão e que esse será o ponto de partida para a discussão com todas as partes e só mais tarde haverá respostas objectivas ao que considerou ser um “problema sistémico”.

Gutemberg salientou que em alguns países “sempre que se percebe que um produto enfrenta uma situação muito ruim, é o próprio governo que toma a iniciativa de oferecer uma redução de impostos temporária.” (macauhub/MZ/BR)

MACAUHUB FRENCH