Guiné-Bissau vai rever contratos de exploração de recursos naturais

28 May 2014

O Presidente eleito da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, anunciou a revisão de todos os contratos relacionados com a exploração de recursos naturais do país, assim que tomar posse do cargo, cuja cerimónia está prevista para Junho.

No decurso de uma reunião na sede do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), o Presidente, que se expressava em crioulo, disse que os contratos de areias pesadas, petróleo, fosfatos, pescas e “todos os outros” vão ser reapreciados.

Além da exploração de recursos naturais que acaba por beneficiar particulares e não o país, o Presidente mencionou o abate de madeira para exportação, que tem sido o caso mais falado na Guiné-Bissau nos últimos meses, de acordo com a agência noticiosa Lusa.

Nélson Dias, delegado da União Internacional de Conservação da Natureza na Guiné-Bissau, alertou em Março, numa entrevista àquela agência, para o aumento do “número de moto-serras nas florestas e do número de contentores” oriundos do interior “que fazem fila no porto de Bissau ou passam pela fronteira.”

No mais recente relatório trimestral sobre o país, as Nações Unidas pediram ajuda à comunidade internacional para estancar a destruição das florestas e das reservas naturais na Guiné-Bissau por terem atingido “níveis sem precedentes” nos últimos “dois anos.” (macauhub/GW)

MACAUHUB FRENCH