Consórcio sino-moçambicano constituído para explorar carvão em Moçambique

4 June 2014

Um consórcio controlado em 80% pela empresa chinesa Kingho Investment vai iniciar os estudos de viabilidade económica para a exploração de carvão mineral no distrito de Changara, província de Tete, centro de Moçambique, foi anunciado em Maputo.

De acordo com a imprensa moçambicana o anúncio foi efectuado no decurso da sessão de constituição do consórcio, que reúne a Kingho Investment, subsidiária do China Kingho Energy Group, com sede em Pequim, a Empresa de Exploração Mineira (EMEM), uma empresa maioritariamente detida pelo Estado moçambicano e a Monte Binga, controlada a 100% pelo Ministério da Defesa de Moçambique.

As duas empresas moçambicanas detêm cada uma 10% do capital social do consórcio.

Na ocasião, a ministra moçambicana dos Recursos Mineiros, Esperança Bias, afirmou que o consórcio poderá ter uma concessão de 25 anos sobre a mina, caso os resultados das pesquisas sejam positivos.

Bias acrescentou que a Kingho Investment realiza desde 2010 trabalhos de exploração na zona da concessão, em parceria com a Direcção Nacional de Geologia de Moçambique.

A província de Tete é bastante rica em carvão mineral e vários grupos estrangeiros, casos do brasileiro Vale e anglo-australiano Rio Tinto, estão neste momento envolvidas na produção ou pesquisa deste recurso. (macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH