União Europeia pretende continuar a dar a maior parte da ajuda a Moçambique

19 June 2014

Os estados-membros da União Europeia (UE) vão continuar a facultar a maior parte da ajuda ao desenvolvimento de Moçambique, disse recentemente em Inhambane o chefe da delegação da União Europeia em Moçambique, Paul Mali.

De acordo com o matutino Notícias, de Maputo, o embaixador disse a UE pretende continuar a garantir cerca de 80% de toda a ajuda bilateral e multilateral que anualmente é prestada a Moçambique.

Paul Mali disse ainda que o financiamento europeu para o desenvolvimento de Moçambique ascendeu nos últimos 30 anos a cerca de 3 mil milhões de euros, montante que foi aplicado tanto no apoio directo ao Orçamento de Estado como em projectos sectoriais, nomeadamente para a democratização e a consolidação do Estado de Direito.

O embaixador disse que os laços bilaterais não são apenas político-diplomáticos e de cooperação para o desenvolvimento, mas também económicos e comerciais, representando a União Europeia 30% do investimento directo estrangeiro, 40% das exportações moçambicanas e 25% das importações.

“Com padrões éticos e ambientais elevados, aspiramos que o nosso sector empresarial contribua para o benefício dos povos dos dois continentes e para um crescimento sustentável que possa fazer recuar os índices da pobreza”, disse o diplomata, no decurso de uma sessão comemorativa do 30º aniversário das relações de cooperação entre a União Europeia e Moçambique.

Moçambique aderiu ao grupo dos países de África, Caraíbas e Pacífico (ACP), a 8 de Dezembro de 1984, passando neste quadro, a beneficiar dos instrumentos de cooperação e apoio ao desenvolvimento estabelecidos entre aquele grupo e a União Europeia. (macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH