Sistema bancário de Angola dependente da indústria petrolífera

1 July 2014

O sistema bancário de Angola depende ainda em grande medida da indústria petrolífera, que é o grande depositante de recursos financeiros, afirmou segunda-feira em Lunda o presidente da Empresa Interbancária de Serviços (Emis), José Gualberto Matos.

No decurso de um seminário sobre regulação no sector das telecomunicações, José Matos salientou que o número de instituições bancárias a nível de Angola tem vindo a crescer de forma satisfatória e o aumento do crédito também facilitará a independência total dos bancos do sector petrolífero.

Citado pela agência noticiosa Angop, José Matos salientou que, nos últimos seis anos, o sector bancário cresceu muito em termos crédito ao passar de 600 mil milhões de kwanzas (6133 milhões de dólares) em 2007, para 1431 mil milhões de kwanzas (14 628 milhões de solares) em 2013.

“O único problema que existe é a descentralização dos bancos, dado que o maior número de agências está em Luanda, seguida por Benguela e Huíla, facto que ainda constitui preocupação e desafio do sector”, disse.

O presidente da Empresa Interbancária de Serviços disse que Angola encontra-se na oitava posição no que se refere aos países na África a sul do Saara com maior rede bancária, lista que é encimada pela África do Sul.

Participam neste seminário, promovido pela Associação Internacional das Comunicações de Expressão Portuguesa (AICEP), empresas ligadas às telecomunicações de Angola, Cabo Verde Moçambique e Portugal. (macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH