Transformação de gás natural em combustíveis líquidos em estudo em Moçambique

4 July 2014

A estatal moçambicana Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH) acordou com os grupos sul-africanos Sasol e italiano ENI a realização de um estudo de pré-viabilidade para a construção de uma fábrica para transformar gás natural em combustíveis líquidos.

O estudo é a consequência imediata de um memorando de entendimento assinado entre as partes sendo que a fábrica, a ser alimentada com o gás natural a ser extraído na bacia do Rovuma, na província de Cabo Delgado, deverá ter uma capacidade inicial de produção de 96 mil barris de combustíveis líquidos por dia.

A ENH e o grupo ENI são parceiros no bloco Área 4 da bacia do Rovuma e a Sasol está a desenvolver com a ENH o projecto de Pande e Temane, detendo o grupo Sasol tecnologia que permite a transformação do gás em derivados líquidos.

De acordo com o jornal Notícias, de Maputo, a realização deste estudo resulta de esforços que têm sido desenvolvidos pela ENH na busca de um parceiro técnico para desenvolver uma fábrica de “gás para líquidos”, com vista à produção de combustíveis líquidos essenciais para a economia moçambicana.

O presidente da ENH, Nelson Ocuane, é citado num comunicado divulgado pela empresa a afirmar que, em paralelo com a produção de gás natural liquefeito, que constitui o projecto âncora no âmbito da exploração do gás da bacia do Rovuma, a empresa tem dado prioridade à identificação de projectos de massificação de utilização local do gás natural.

“A implantação de um projecto do género vai permitir que o país passe a produzir combustíveis líquidos a partir do gás, como gasóleo e petróleo de iluminação, por exemplo, e reduzir a dependência na importação”, disse ainda Nelson Ocuane. (macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH