FMI considera que Angola não necessita de mais empréstimos

17 July 2014

O Fundo Monetário Internacional (FMI) afasta a possibilidade de a curto prazo conceder novos empréstimos à economia angolana, pelo facto de constatar “melhorias  significativas” no ambiente macroeconómico e na gestão e transparência das contas nacionais, escreve hoje o Jornal de Angola.

“Angola não precisa de novos empréstimos do FMI  para assegurar a sua economia. Ela está a caminhar muito bem a nível macroeconómico”, afirmou o chefe da missão do FMI em Angola, Ricardo Velloso, no final da visita de duas semanas que efectuou ao país, no âmbito das consultas anuais ao abrigo do Artigo IV deste organismo internacional.

Em Novembro de 2009, Angola havia solicitado ao FMI um empréstimo no valor de 1,4 mil milhões de dólares, o qual foi concedido na modalidade de Acordo Stand-By (SBA) cujo objectivo foi de reconstituir as suas reservas de divisas, depois de uma baixa do mercado do petróleo.E ste programa prolongou-se até 2012.

“O FMI aceitou acordar um crédito desses valores às autoridades angolanas porque mereceram face ao cumprimento e o alto desempenho alcançado no quadro do programa de reforma e estabilização apoiado pelo Fundo”, disse Ricardo Velloso.

O FMI prevê  que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) real venha  a atingir em 2014 os 3,9 por cento com o abrandamento da expansão da produção agrícola e devido à queda temporária dos preços do petróleo no mercado internacional no primeiro semestre deste ano. Em 2015 o FMI estima que o crescimento do PIB real vai acelerar para 5,9 por cento, enquanto o PIB real não petrolífero permanece robusto e a produção petrolífera recupera.(macauhub/AO)

MACAUHUB FRENCH