Empresa chinesa investe 260 milhões de dólares em ZEE de Moçambique

21 July 2014

A empresa chinesa Dingsheng International Investments já investiu 260 milhões de dólares dos 500 milhões previstos para infra-estruturação da Zona Económica Especial de Manga-Mungassa, na província de Sofala, informou o ministro da Planificação e Desenvolvimento de Moçambique.

O ministro Aiuba Cuereneia disse ainda que o valor investido até à data foi aplicado na construção de infra-estruturas básicas, designadamente rede de fornecimento de energia e água, arruamentos, armazéns industriais, entre outros, num projecto que prevê, igualmente a construção de um edifício administrativo, armazéns aduaneiros e sala de exposições, bem como uma unidade hoteleira.

Na cidade da Beira, capital da província de Sofala, o ministro disse igualmente que as infra-estruturas que estão a ser erguidas na Zona Económica Especial de Manga-Mungassa terão papel determinante no apoio ao estabelecimento de empresas produtivas e de operadores de comércio externo que, por sua vez, irão contribuir para a redução do custo de investimento inicial feito pela Dingsheng International.

Falando na abertura do 1.º Seminário de promoção de oportunidades de investimento da Zona Económica Especial de Manga-Mungassa, Aiuba Cuereneia destacou o facto de a localização estratégica da cidade da Beira constituir o primeiro factor a ser capitalizado por aquela ZEE, beneficiando também as províncias ao longo do “Corredor da Beira.”

Em declarações ao jornal Notícias, de Maputo, o director do Gabinete das Zonas Económicas de Desenvolvimento Acelerado (Gazeda), Danilo Nalá, disse haver já pelo menos duas empresas a operar naquela ZEE, uma das quais exporta cobre extraído na Zâmbia.

A ZEE de Manga-Mungassa foi criada através de decreto de Julho de 2012 e tem uma área de 217 hectares, com possibilidade de extensão até 1000 hectares, funcionando a Dingsheng International como empresa operadora. (macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH