BES Angola colocado nos activos do “banco mau” ou Banco Espírito Santo

4 August 2014

A participação do Banco Espírito Santo no BES Angola (BESA) vai ficar nos activos do chamado “banco mau”, na sequência da divisão da instituição financeira portuguesa em dois bancos, um “bom” e um “mau”, anunciou domingo em Lisboa o governador do Banco de Portugal.

O governador Carlos Costa anunciou que o Banco Espírito Santo (BES) seria dividido entre o “Novo Banco”, onde serão colocados todos os depósitos e os créditos de boa qualidade, bem como o BESI e o Banco Best, e o “banco mau”, que continua a chamar-se BES, onde, além do BESA, ficarão todos os activos tóxicos provenientes do Grupo Espírito Santo (GES).

O accionista do “Novo Banco” é o Fundo de Resolução, liderado pelo Banco de Portugal, que aplicará na instituição 4,9 mil milhões de euros e o BES ou “banco mau” continuará a ser propriedade dos actuais accionistas do BES, que perdem tudo, à semelhança do que acontece com os detentores de obrigações subordinadas.

Este “banco mau” vai entrar em liquidação e passará a ser gerido por um administrador de falências.

Segundo o governador do Banco de Portugal, o governo português e o supervisor tomaram esta decisão porque já não era possível manter o mesmo BES com as portas abertas, uma vez que tinha perdido o acesso a empréstimos do Banco Central Europeu depois dos resultados que apresentou no primeiro semestre.

Passam para o Novo Banco todos os trabalhadores do BES, todas as agências, bem como os depósitos, os clientes de crédito e os detentores de obrigações seniores.

“A generalidade da actividade e do património do Banco Espírito Santo é transferida, de forma imediata e definitiva, para o Novo Banco, devidamente capitalizado e expurgado de activos problemáticos, sendo os depósitos plenamente preservados, bem como todas as obrigações não subordinadas”, ainda de acordo com o Banco de Portugal. (macauhub/AO/PT)

MACAUHUB FRENCH