Rio Tinto regista perdas de 53 milhões de dólares em Moçambique

8 August 2014

A mineira anglo-australiana Rio Tinto registou, durante o primeiro semestre, um prejuízo de 53 milhões de dólares no projecto carbonífero de Moçambique, cujos principais activos mineiros foram recentemente vendidos ao grupo de empresas estatais indianas International Coal Ventures Private Limited (ICVL).

Embora as receitas provenientes da venda de carvão térmico e de coque tenham alcançado 40 milhões de dólares, mais oito milhões do que no período homólogo, a mineira voltou a registar prejuízos, ainda que menores do que no primeiro semestre de 2013, quando a perda atingiu 62 milhões de dólares.

No relatório de contas de 2014 relativo às operações globais do grupo, no qual se destacam ganhos de 5,1 mil milhões de dólares, a Rio Tinto informa ter investido no projecto moçambicano nove milhões de dólares, num contexto em que os bens materiais da empresa foram avaliados em 143 milhões de dólares.

A Rio Tinto justiça os fracos resultados com o cenário internacional de queda dos preços do carvão de coque (132 dólares por tonelada) e térmico (76 dólares por tonelada), sublinhado que a produção local “foi afectada por constrangimentos” nos transportes (ferroviário e portuário) e também por paragens operacionais inesperadas, em resposta a problemas de segurança.

“Apesar disso, a procura dos principais mercados do Japão, Coreia [do Sul] e Taiwan manteve-se forte”, lê-se no relatório, que informa depois os investidores do grupo que “a mina de carvão de Benga e outros projectos da província de Tete” foram vendidos à ICVL por 50 milhões de dólares, no final do mês passado.

Apesar dos resultados negativos da mina de Benga, na qual o grupo indiano Tata Steel Ltd mantém uma participação de 35%, a ICVL espera aumentar para 13 milhões de toneladas a sua produção anual dentro de três anos.

Em 2013, a produção de carvão de coque e térmico da mina não terá ido além de 1,6 milhões de toneladas, segundo relatórios da Rio Tinto divulgados no início deste ano.

Criada pelo governo indiano para adquirir minas de carvão no estrangeiro, a ICVL reúne algumas das principais empresas públicas do país, designadamente a Steel Authority of India Limited, Coal India Limited, Rashtriya Ispat Nigam Limited, National Minerals Development Corporation Limited e National Thermal Power Corporation Limited. (macauhub/MZ)

MACAUHUB FRENCH