Aeroportos do Galeão e Confins, Brasil, sob gestão de consórcios privados

13 August 2014

O aeroporto internacional do Galeão, no Rio de Janeiro, começou terça-feira a ser gerido pelo consórcio privado (51%) formado pela construtora brasileira Odebrecht TransPort e pela Changi Airports International, de Singapura, informou a Agência Brasil.

A restante participação de 49% fica nas mãos da estatal Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero), criada em 1972 para operar os principais aeroportos comerciais do país.

O consórcio anunciou ir investir 2 mil milhões de reais no aeroporto até os Jogos Olímpicos de 2016 e 5 mil milhões até ao final da concessão, com um prazo de 25 anos.

O contrato de concessão foi assinado a 2 de Abril de 2014 e, desde Junho, a concessionária tem estado a apoiar a operação da Infraero naquele aeroporto, por onde passaram 17 milhões de pessoas em 2013.

Já estão concedidos à iniciativa privada os aeroportos de São Gonçalo do Amarante, Guarulhos, Brasília e Viracopos e igualmente a partir de terça-feira o Aeroporto Internacional Tancredo Neves-Confins também deixou de ser operado pela Infraero.

Este aeroporto foi entregue em concessão ao consórcio formado pelas empresas Companhia de Participações em Concessões, do grupo brasileiro CCR e pelas operadoras suíça Zurich Airport International AG e alemã Munich Airport International Beteiligungs GmbH. (macauhub/BR)

MACAUHUB FRENCH